quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Amo-te

 

Sabes o quanto te amo? Eu amo-te o mais que suficiente para atingir um canto do universo, dar centenas de piruetas e voltar aos teus braços. Amo-te de uma maneira infinita. Amo-te com aquela força única que me cola a ti, que me deixa hipnotizada a olhar para cada poro da tua pele, para o brilho dos teus olhos, para o contorno dos teus lábios. Amo-te sem tal ser escrito numa palavra, mas sentido em dois corações. Amo-te quando fazemos o mundo parecer demasiado sério para as nossas confusões numa mesa de almoços desenrascados. Amo-te naqueles abraços apertados, em que os corações se cumprimentam no seu pum-pum contínuo, único e já sintonizado - tão bem sintonizado. Amo-te a ti, para um sempre que nem o próprio infinito da vida consegue definir.

  

Ficas comigo, eu contigo, dás-me um beijo, eu entrego-te outro, enrolamos os braços no tronco de cada um de nós, eu encosto a face no teu pescoço, tu passeias as mãos no meu cabelo. Assim sempre, sim?

5 comentários:

Débora disse...

gostei imenso e estou a seguir*

; diiana ♥ disse...

Obriigada,

Débora disse...

pois, eu e ela foi amor á primeira vista :b

Filipa disse...

' acredita que é e muito.

Sarafaela disse...

ouvir a chuva a cair e estarmos deitados sabe mesmo bem :)

Sigo *