terça-feira, 29 de novembro de 2011

Caminhos


Eu nunca fui boa a lutar. Não que não entrasse em batalhas - só penso que sempre fui muito pacifista para levar armas, o que me inibia de tantos e tantos confrontos. Mas estou prestes a dar passo adiante, abrir bem a porta e encarar, de punho levantado, as espadas a mim apontadas. É difícil quando sabemos que o James Bond é ficção, e nós temos de vestir a sua pele numa missão impossível bem real. Resta continuar a olhar o céu, ainda tão cinzento, ainda tão branco, e acreditar que o que conta é fazer realmente a diferença. Não digo no mundo todo. Fazer a diferença, talvez, no pedacinho que nos rodeia.

10 comentários:

PauloSilva disse...

Há que fazer a diferença sobretudo em nós. E isso depende só da maneira com que lutamos e não se vencemos ou não. Um beijinho *

MARILENE disse...

As lutas, no sentido exato da palavra, são mais interiores, e as melhores armas estão na sabedoria para lidar com os desafios. É em nosso pequeno círculo social que podemos começar a mudar o mundo.

Retribuo, com prazer, sua visita.
Obrigada

Daniela disse...

Eu não queria ter saudades de uma pessoa que me fez muito mal percebes? mas enfim , esta saudade mata-me muito mesmo ! Obrigada!

catarina disse...

obrigada (: também gostei do teu*

Alice disse...

Muito muito obrigada, mesmo *-*
Vou seguir o blog, encantou-me <3

Maggie May disse...

a gente só sabe o quanto é forte quando precisa ir a luta! acredite!

ana cristina disse...

fazer diferença.. isso é bom :)

Ana Carolina disse...

Gostei muito deste blog muito querido mesmo..
*Sigo.
Beijinhos :)

rafaela sofia disse...

adoro o blog*

Maria Francisca Almeida Gama disse...

adoro o teu blog, estou a seguir*
vê o meu, acho que te vais identificar bastante!
beijinhos, kika
http://franciscagama.blogspot.com/